PANTONE: O QUE É E PARA QUE SERVE?

Você já ouviu falar em Pantone?

Então, neste artigo, você irá compreender mais sobre Pantone e suas possibilidades de aplicação.

PANTONE É UMA MARCA?

Pantone® é uma empresa responsável por desenvolver sistemas codificados de organização de cores. Além disso, ela se envolve em consultorias de cor, criando tendências que vêm sendo utilizadas em áreas de moda, design gráfico ou digital, decoração e arquitetura, entre outros segmentos.

ONDE SURGIU O PANTONE?

No início dos anos 60, a tecnologia e, consequentemente, as formas de direcionamento das cores, eram bem mais limitadas que os recursos atuais. Esse fator originou muitos erros de projeto, mas foi, também, um motivador da empresa Pantone para a criação do sistema de organização de cores. Conhecido como Pantone Matching System ou PMS (Escala de Cores Pantone), naquela época, possuía em seu catálogo cerca de 500 cores.

Para diminuir as variações erradas, a inovação permitia a réplica exata das cores, por meio de um sistema de numeração e formato de chip. Foi um avanço surpreendente, e o sistema passou a ser usado, principalmente, por designers e outros profissionais da área.

COMO FUNCIONA O PMS?

O Pantone Matching System é o mais empregado em geração de cores. Ele desenvolve diversos tons, efeitos metálicos e fluorescentes, além de várias tonalidades do CMYK (ciano, magenta, amarelo e preto).

Cada cor tem um código próprio, sendo a sua identidade. Essa regra, normalmente, é composta por três ou quatro números e uma letra, C ou U. A letra C representa coated (revestido), que quer dizer que: o papel onde a cor será impressa tem um revestimento especial. Já a letra U vem de uncoated – impressão em papel sem revestimento. É nesse detalhe que reside a diferença no resultado final. Por isso, é bom ficar atento a essas letrinhas quando se trata da representação fiel de uma cor.

TABELA COATED X TABELA UNCOATED

Uma tabela Pantone para impressão vem com dois catálogos, um Coated e outro Uncoated. A tabela Coated foi desenvolvida para ser aplicada em papéis revestidos, mais brilhantes e resistentes. Já a Uncoated serve para os papéis não revestidos, como citamos anteriormente. Vamos entender a diferença na prática?

Um bom exemplo de papel revestido é o couchê. Como papel não revestido, podemos citar o popular offset ou sulfite, que é sem resina. Essa diferença indicará qual referência aplicar em cada tipo de revestimento. O papel interfere diretamente no tom da impressão, o que reforça importância das duas tabelas para evitar erros e problemas do passado. O mesmo não ocorre na escala CMYK, já que são tintas primárias compostas entre si, praticamente.

UTILIZANDO A TABELA PANTONE OU A CMYK

O CMYK é uma escala de padronização de cores, um sistema de cores pigmento bastante aplicado em todos os tipos de impressão. No entanto, não é possível reproduzir todas as cores em CMYK. As metálicas, fluorescentes e em tons pastéis precisam de uma escala Pantone.

QUANDO DEVEMOS USAR A TABELA PANTONE?

Devemos utilizar a escala Pantone quando é preciso respeitar padrões mais rigorosos de cores de marcas ou tonalidades especiais, em um projeto gráfico ou de outra modalidade. Isso implica em uma redução de gastos significativa no orçamento, gerando uma garantia de exatidão de cor e ótimo custo-benefício para o seu projeto.

TABELA PANTONE: DESIGNER E GRÁFICA UTILIZAM AS MESMAS?

Trata-se da mesma tabela, porém, com empregos diferentes. Para designers, apenas o nome do Pantone e sua referência em código são necessários para o desenvolvimento de um projeto. Já em um contexto de impressão gráfica ou aplicação da cor em alguma superfície, além do nome do Pantone, as informações de composição (descrição com as quantidades de pigmentos necessárias na produção daquelas cores), são fundamentais. Em gráficas com processo de produção mais robusto, como é o caso da Rona, que possui laboratório específico para desenvolvimento, garantia e testagem das cores, essa informação é crucial para garantir a qualidade.

COMO ACONTECE A INDICAÇÃO DE TENDÊNCIAS DA PANTONE?

Por meio de um processo de pesquisa em caráter global, a Pantone indica, todo ano, uma cor que tem fortes indícios de ser a tendência do ano seguinte. Essa história teve início em 1999, quando a “cerulean”, que representa o milênio como um tempo de paz e tranquilidade, foi eleita a cor do ano 2000. Desde então, uma nova cor estratégica é apresentada a cada ano. Mas a escolha não ocorre de forma aleatória. Para tanto, são seguidos alguns critérios. Há um processo que demanda meses de estudo sobre tendências, culturas e sentimentos, antes de se anunciar uma tonalidade. É uma escolha fundamentada, com ampla influência no design, em geral.

Para 2021, foram desenvolvidas 10 cores e indicadas como tendências do ano. Confira na imagem abaixo:

Gostou de saber um pouco mais sobre o universo das cores, além da sua importância no controle de custos e qualidade de um projeto editorial e gráfico?

Inscreva-se e confira mais artigos como este.

Clicando aqui, você pode entrar em contato com nossos consultores e ficar ainda mais inteirado(a) de detalhes que, certamente, farão toda diferença no resultado do seu projeto.

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on google
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

FALE CONOSCO: (31) 3303-9999 • RONA@RONAEDITORA.COM.BR

RUA HENRIQUETO CARDINALE, 280 OLHOS D'ÁGUA
BELO HORIZONTE - MINAS GERAIS 30390-082

×

Carrinho