AS ETAPAS DO PROJETO DE EMBALAGEM DE PRODUTO

 Um projeto de embalagem possui várias etapas em seu processo de desenvolvimento e envolve diferentes profissionais.  

Para que tenha sucesso, é essencial que todos os elos da cadeia produtiva estejam envolvidos no projeto. O conhecimento de cada um é relevante, assim como o compartilhamento de informações e a atribuição de responsabilidades para que o resultado seja uma embalagem eficiente, adequada ao produto a que se destina e ao seu respectivo método produtivo. Além disso, é importante considerar também as características que agregam valor ao produto, à marca e que estejam de acordo com as normas técnicas referentes àquele tipo de embalagem.

A embalagem de um produto é cerca de 75% da estratégia de marketing no que tange às ações relacionadas aos 4 ’Ps’ do Marketing.
Antes de evoluirmos, vamos destacar esses conceitos e a relação que estabelecem com a embalagem de um produto:

  • Produto – quando falamos em produto, estamos nos referindo a tudo que o compõe: armazenagem, utilidade, como ele se encontra no ponto de venda, quais as suas restrições, quais informações ele deve conter, suas características, etc.
  • Preço – já este item refere-se a todo o processo de construção do valor deste produto. A embalagem faz parte deste cálculo e seu custo deve impactar o mínimo possível no valor final, colaborando para que o produto seja mais competitivo.
  • Praça – onde este produto será encontrado? Em que mercado ele será oferecido? Como a embalagem pode contribuir para a jornada do cliente e para sua decisão de compra dentro deste modelo de negócio?
  • Promoção – aqui temos boa parte do assunto relacionado ao processo de anúncio e divulgação do produto, mas é importante lembrar que no PDV (Ponto de Venda) este papel fica por conta de sua embalagem.


Quem participa de um projeto de embalagem?

Os envolvidos geralmente são direcionados conforme as etapas estabelecidas para este processo. Em alguns modelos de negócio, parte dos responsáveis são parceiros ou fornecedores que buscam soluções viáveis e compatíveis com a realidade de produção e investimento da empresa que produz o produto de fato. Neste contexto, o fornecedor pode se tornar um importante parceiro no desenvolvimento deste tipo de projeto, passando a ser co-responsável pelas inovações e soluções que atendam às necessidades técnicas envolvidas (conforme o tipo de produto) e também produtivas (já pensando no processo de execução deste atendimento).  

De forma geral, devem participar responsáveis ou representantes da empresa envolvidos no processo de produção deste produto (idealizadores do produto e equipe técnica, seja manufatura e/ou qualidade), equipes e/ou profissionais que detém as diretrizes de uso da marca (seja uma agência de design ou equipe de marketing da própria empresa) e os fornecedores de embalagens e insumos.

Mas quais as etapas necessárias para o desenvolvimento de um projeto de embalagem? Vamos conhecer cada uma!


1. O Briefing

O projeto de desenvolvimento de uma embalagem tem como início seu briefing – coleta inicial de dados que irá nortear todo o projeto.
Nesta etapa são levantados os objetivos deste projeto (para que se destina tal embalagem e quais as suas funções), as restrições e considerações técnicas envolvidas (normas, materiais e outros requisitos que estejam ligados à conformidade da embalagem para seu uso diante da finalidade estabelecida) e os aspectos relacionados à inovação (como a embalagem pode se destacar de seus concorrentes, como unir design e experiência do cliente com o produto, etc). Enfim, esta é a etapa em que os principais objetivos e informações de um projeto devem ser conhecidos.

No briefing também são considerados aspectos relacionados à sustentabilidade deste projeto, como redução do impacto ambiental (função estratégica do posicionamento da marca e papel social desta embalagem), utilização de materiais alternativos e de fonte renovável (sejam eles relacionados à inovação ou somando ao conceito sustentável do projeto), uso da simbologia de identificação de descarte seletivo e refilagem (elementos de layout que devem ser considerados). 

 Outro ponto importante de se chamar a atenção é quanto aos objetivos. É através da definição deles que consideramos as questões técnicas, criativas, logísticas, geográficas, legais e limitadoras do orçamento e norteadoras dos riscos envolvidos.

E, por último, mas não menos importante, é necessário conhecer a fundo os usuários do produto, entender quais as suas necessidades e expectativas, não só quanto ao produto mas com relação à embalagem: o que valorizam, aspectos da cultura local, hábitos e desejos destes consumidores.

2. As especificações de uma embalagem

Seguindo nas etapas necessárias para construção da embalagem do seu produto, chegamos a uma crucial que diz muito da viabilidade do projeto: o entendimento sobre os materiais envolvidos em todos os elos da cadeia. Através deste conhecimento a precisão de seu projeto pode estar garantida.
E não basta conhecer os materiais e não considerar seu processo logístico, de fabricação e controle junto aos fornecedores. Neste sentido, vale implementar procedimentos de pré-especificação e aprovação para garantia dos itens mencionados.

 E, ainda falando de fornecimento, não podemos deixar de fora a etapa visual do projeto ou a arte-final. Esta implica no desenvolvimento e na adequação do conteúdo obrigatório e promocional que a embalagem deve conter. Além disso, é importante o conhecimento e a definição sobre a forma de impressão com antecedência, incluindo a tecnologia envolvida para seu desenvolvimento, número de cores (escala pantone ou outras definições) e capacidade dos processos.


3. O Cronograma

 O tempo é um fator crítico em um processo como este. Ele implica em diversas decisões e caminhos que o projeto pode assumir. Por isso, é preciso, no planejamento, mensurar e entender os prazos para cada atividade que compõe o projeto e incluir estes em seu desenvolvimento. O tempo necessário para cada etapa do processo deve ser compartilhado e validado com todos os envolvidos. Um bom cronograma inclui a elaboração de protótipos, testes de validação/aprovação em todas as etapas, pesquisas envolvendo o consumidor, aprovações internas necessárias para evolução de cada etapa, aprovações regulatórias (se necessárias), produção da embalagem em si, produção do produto final e sua distribuição.

4. Etapas de Validação

 Uma das etapas cruciais para o sucesso do projeto são as etapas de validação ou identificação dos pontos críticos tanto no processo de produção e uso da embalagem como do produto. Neste sentido, leva-se em conta a capacidade produtiva dos fornecedores envolvidos, testes de liberação de cada elemento da produção da embalagem – moldes, facas e cilindros de gravação –, testes com protótipos, procedimentos que garantam o melhor formato de produção, prova de cores e outros que julgar necessários para garantia da qualidade e conformidade de sua embalagem. Ainda podemos considerar a verificação da compatibilidade da embalagem com o produto e também com a linha de produção, seu dimensionamento, armazenamento, transporte, exposição no ponto de venda (PDV), uso pelo consumidor, descarte final e destinação adequada (logística reversa se o caso, coleta seletiva, etc…).

 Outras validações importantes são os testes e avaliações mais críticos (cuja avaliação indique sua necessidade para conformidade do fornecimento do produto), tomando por base referências como ABNT, ISO e outras normas que garantam os parâmetros de qualidade e segurança necessários. Muitas empresas utilizam normas técnicas como parâmetro de qualificação de seus fornecedores, em caso de uso de fornecimento de embalagens, este pode ser um caminho de avaliação e qualificação do seu fornecedor. Por isso, verifique e realize os testes determinados pela legislação específica e vigente no local, consultando órgãos como Anvisa, Inmetro ou ainda o Ministério da Agricultura.

5. A Legislação

Seu projeto de embalagem obrigatoriamente deve atender às exigências legais de modo a garantir que a rotulagem da embalagem esteja de acordo com as exigências estabelecidas para sua comercialização, como tamanho mínimo da letra/fonte e código de barras, segundo requisitos técnicos de impressão que garantam a leitura dos elementos gráficos. Por isso é fundamental também conhecer os trâmites necessários para aprovação junto aos órgãos regulatórios responsáveis. Este estudo obrigatoriamente deve ocorrer antes do desenvolvimento da proposta de embalagem exatamente para que as informações referente as exigências entrem como pré-requisito para o desenvolvimento do seu projeto de embalagem.

Gostou do artigo? Para conhecer mais informações necessárias em cada uma das etapas, se inscreva e acompanhe nosso blog e esteja sempre por dentro do universo da Rona.
Quer saber mais sobre as possibilidades de embalagem para seu produto ou negócio? Nosso time de consultores estão prontos para te atender e ajudar no que for preciso, clique aqui e entre em contato!

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on google
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

FALE CONOSCO: (31) 3303-9999 • RONA@RONAEDITORA.COM.BR

RUA HENRIQUETO CARDINALE, 280 OLHOS D'ÁGUA
BELO HORIZONTE - MINAS GERAIS 30390-082

×

Carrinho